EUA advertem cidadãos que viajam para a China para ter cautela

O Departamento de Estado norte-americano renovou a advertência para que cidadãos norte-americanos viajando pela China aumentem a cautela devido à “imposição arbitrária das leis locais” em meio a tensões diplomáticas sobre a prisão no Canadá de uma executiva chinêsa de tecnologia.

A recomendação de viagem mantém o alerta no “Nível 2”, mas também alerta sobre as verificações extras de segurança e o aumento da presença policial nas regiões autônomas de Xinjiang Uighur e no Tibet.

O aviso do governo ocorre apos as detenções de dois canadenses na China, que disseram ser suspeitos de prejudicar a segurança da China.

Michael Kovrig, ex-diplomata e assessor do International Crisis Group (ICG), e o empresário Michael Spavor, foram detidos depois que a polícia canadense prendeu a executiva da Huawei, Meng Wanzhou, a pedido dos EUA.

“Sem dúvida, esses dois cidadãos canadenses na China violaram as leis e regulamentos de nosso país, e estão atualmente em investigação de acordo com o procedimento”, disse Zhang Jun, procurador-geral da China.

O Canadá disse várias vezes que não viu nenhum vínculo explícito entre a prisão de Meng, a filha do fundador da Huawei, e as detenções de Kovrig e Spavor.

Mas diplomatas ocidentais baseados em Pequim e ex-diplomatas canadenses disseram que não têm dúvidas de que os casos estão ligados.

O Canadá disse que as detenções são inaceitáveis eo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que a China deveria libertar os homens.

Sob a lei de processo penal chinesa, formas especiais de detenção e interrogatório podem ser usadas para suspeitos de segurança do Estado.

A assessoria também adverte sobre o uso da China de “proibições de saída” que proibiriam cidadãos americanos de deixar o país, às vezes mantendo-os na China por anos.

Fonte: The Guardian

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta