Quatro mortos e 40 desaparecidos após o colapso da torre russa

Quatro pessoas foram mortas e até 40 não foram encontradas depois que uma explosão de gás atingiu um edifício residencial na Rússia, deixando centenas de pessoas sem uma casa em temperaturas muito baixas na véspera de Ano Novo.

Uma grande parte do arranha-céu na cidade industrial de Magnitogorsk desmoronou após a explosão, às 6h (horário local), na segunda-feira. Magnitogorsk é aproximadamente 1.600km a leste de Moscou, proxima aos Urais.

Pelo menos duas crianças e dois adultos foram levados para o hospital, disseram autoridades.

Inicialmente, as autoridades disseram que até 70 moradores da seção em colapso do edifício estavam desaparecidos, mas depois localizaram alguns deles.

O jornal local citou o ministro das emergências, Yevgeny Zinichev, dizendo que entre 36 e 40 pessoas podem estar sob os escombros. A explosão aconteceu antes do amanhecer, quando muitas pessoas ainda dormiam.

A televisão nacional transmitiu imagens de equipes de resgate vasculhando pilhas de concreto e metal em temperaturas de -18C. Aquecedores poderosos foram instalados na esperança de impedir que sobreviventes presos morressem congelados.

Esperava-se que as temperaturas em Magnitogorsk caíssem para -23ºC na noite do Ano Novo, o maior feriado do ano na Rússia.

Autoridades alertaram que mais duas seções do arranha-céu da era soviética na rua Karl Marx estavam em perigo de entrar em colapso.

A moradora local Anna Koroleva disse à rádio Echo de Moscou que a explosão quebrou as janelas de edifícios próximos.


Um oficial de emergência participa de uma operação de busca e salvamento. Foto: Ilya Moskovets / AFP / Getty Images

Localizada na região sul do Ural, rica em minerais, a Magnitogorsk, com uma população de mais de 400.000 pessoas, abriga uma das maiores produtoras de aço do país.

O arranha-céus foi construído em 1973 e abrigava cerca de 1.100 pessoas. Os residentes foram evacuados para uma escola próxima.

Voluntários ofereceram dinheiro, roupas e itens essenciais para as vítimas, e alguns disseram que estavam prontos para fornecer abrigo temporário aos necessitados.

O governador regional, Boris Dubrovsky, disse que as autoridades planejam comprar apartamentos para pessoas que perderam suas casas.


Vladimir Putin (centro) participa de uma reunião de emergência sobre o colapso. Foto: Ilya Moskovets / TASS


Funcionários das siderúrgicas locais da MMK participaram da operação de resgate. O bilionário Viktor Rashnikov, que controla a usina, pediu aos moradores da cidade que ajudem as vítimas.

“Esta é a nossa tragédia e dor comum”, disse ele em comunicado, acrescentando que a MMK forneceria assistência financeira aos necessitados.

Investigadores abriram uma investigação criminal sobre o acidente, com o serviço de segurança do Estado do FSB confirmando que a explosão foi resultado de uma explosão de gás.

Fonte: The Guardian

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *