Papa Francisco espera visitar Hiroshima, Nagasaki em torno do final de 2019

O Papa Francisco expressou seu desejo de visitar o Japão, incluindo as cidades de Hiroshima e Nagasaki, bombardeadas com bombas atômicas, por volta do final do próximo ano, disse o cardeal japonês na segunda-feira.

Se o plano for realizado, ele se tornará o primeiro papa a viajar para o Japão desde que João Paulo II visitou as duas cidades em 1981.

O cardeal japonês Manyo Maeda, que se encontrou com o papa Francisco no Vaticano no início do dia, disse que o papa deve fazer suas orações pelas vítimas dos bombardeios norte-americanos de Hiroshima e Nagasaki, em 1945, na Segunda Guerra Mundial.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, pediu ao papa para visitar o país quando eles realizaram conversas no Vaticano em 2014.

Em setembro deste ano, o papa Francisco expressou seu desejo de visitar o Japão no ano que vem, quando se reuniu com uma delegação de um grupo privado da prefeitura de Miyazaki.

Os prefeitos de Hiroshima, no oeste do Japão, e Nagasaki, no sudoeste do Japão, bem como o governador da província de Hiroshima, também pediram que o papa o visitasse quando comparecessem ao público semanal.

O papa respondeu enviando cartas em que prometia oferecer orações pelos cidadãos das duas cidades, segundo os governos locais. As cartas, datadas em maio, não mencionam uma visita em potencial.

Maeda, natural das ilhas Goto na província de Nagasaki e cuja mãe sobreviveu ao atentado de Nagasaki, tornou-se o cardeal do Japão em junho. Ele é o sexto cardeal japonês e segue seu antecessor, Fumio Hamao, que morreu em 2007.

Embora a população de católicos no Japão seja pequena em torno de 400.000, ou 0,3% da população nacional, o país tem uma história com a Igreja Católica se estendendo ao longo dos séculos desde que o jesuíta Francis Xavier desembarcou no sudoeste do Japão em 1549.

No verão passado, uma dúzia de locais do sudoeste japonês nas prefeituras de Nagasaki e Kumamoto, que estão ligados a cristãos perseguidos, foi acrescentada à lista do Patrimônio Mundial da Organização Educacional, Científica e Cultural da ONU.

Fonte: Kyodo News

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *