Ghosn poderá ficar detido até 30 de dezembro

A imprensa japonesa soube na noite de terça-feira (4) que há possibilidade da detenção de Carlos Ghosn, 64, e Greg Kelly, 62, ser prorrogada. O prazo de até 10 deste mês deverá se estender até o dia 30.

Admitir ou negar as suspeitas no Japão é fator influente no período de detenção após a acusação. Como Ghosn e Kelly negam as suspeitas, o prolongamento na prisão parece inevitável.

Um dos motivos da detenção dos ex-diretores da Nissan é a suspeita de sonegação fiscal, na qual Kelly é tido como cúmplice de Ghosn. No período de 2010 a 2014 teriam sido cerca de 5 bilhões de ienes omitidos.

Mais sonegação

Mas os promotores encontraram mais uma possibilidade e, por conta dela, poderão ter o período de detenção estendido. Há suspeita de que entre 2015 a 2018 a omissão tenha sido de 4 bilhões de ienes. Portanto, no período de 8 anos a soma chega a cerca de 9 bilhões de ienes não declarados.

A suspeita sobre Ghosn é de que dos 2 bilhões de ienes anuais de ganhos, a metade tenha sido declarada, enquanto a outra metade seria recebida após sua aposentadoria.

Portanto, ele iria receber cerca de 9 bilhões como consultor da montadora.

Ghosn alega que como não se sabe como será o futuro, o suposto recebimento após a aposentadoria poderia ou não acontecer. Mas, a equipe de investigação especial teria encontrado um memorando que declara a quantia a ser recebida.

Fontes: Nikkei e Sankei

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *