Chefe da ONU pede que líderes aumentem a luta contra as mudanças climáticas

U. N. Secretário-Geral, António Guterres, na segunda-feira, prometeram manter pressionar os líderes mundiais a tomar maior ação contra humanos, mudanças climáticas causadas pelo aumento das temperaturas e desastres naturais causam estragos em todo o mundo.

“Se não mudar de rumo, até 2020, nós correr o risco de perder o ponto onde podemos evitar uma mudança climática descontrolada, com consequências desastrosas para as pessoas e de todos os sistemas naturais que sustentam a gente”, antónio Guterres disse a uma plateia de diplomatas e representantes da juventude e U. N. de pessoal ao anunciar planos para convocar uma 2019 cúpula do clima em setembro próximo, em Nova York.

O Paris acordo sobre o clima, que entrou em vigor no final de 2016 como um sucessor para o Protocolo de Quioto, que visa manter um aumento, em média, as temperaturas mundiais para “bem abaixo” 2 graus. C — e, de preferência, perto de 1,5 graus. C — em comparação aos níveis pré-industriais, de modo a limitar a ocorrência de secas, enchentes, derretimento de geleiras, aumento do nível do mar e outros efeitos adversos do aquecimento global.

O acordo estabelece medidas que os países comprometeram-se a implementar em 2020 e além de combater as mudanças climáticas.

“Manter o nosso planeta, o aquecimento abaixo de 2 graus é essencial para a prosperidade global, bem-estar e a segurança das nações,” o português ex-primeiro-ministro explicou, acrescentando que a 2019 evento vai promover a acção climática, trazendo-lo “para o topo da agenda internacional.”

Apesar de reconhecer que o progresso tem sido feito, Guterres citaram a falta de liderança, falta de senso de urgência e a incapacidade de cumprir os compromissos assumidos no processo de luta contra o que ele chamou de o “grande desafio do nosso tempo.”

“Chegou a hora de nossos líderes para mostrar que se preocupam com o povo cujo destino eles têm em suas mãos”, disse ele. “Nós precisamos deles para mostrar que se preocupam com o futuro-e até mesmo o presente.”

O anúncio vem depois de a Organização Mundial de Meteorologia, em Maio, informou que o planeta atingiu a maior média mensal para os níveis de dióxido de carbono já registrado, com um nível de concentração estimados para mais de 3 milhões de anos.

Entre os recém-seqüência de desastres naturais em Kerala, na Índia, no mês passado foi o pior de monção, que matou 400 pessoas e levou mais de um milhão de suas casas, ressaltou. Recentemente no Japão, Tufão Jebi — o mais forte em 25 anos, levou mais de 10 vidas.

Anúncios

Leandro | レアンドロ・フェレイラ

Webmaster, programador, desenvolvedor e editor de artigos.

Deixe uma resposta