Satoshi Senshi em ação no GDR-Gigantes do Ringue ( Cortesia acervo pessoal Satoshi Senshi ).

Satoshi Senshi no circuito “indie” de Pro Wrestling



Satoshi Senshi em ação no GDR-Gigantes do Ringue ( Cortesia acervo pessoal Satoshi Senshi ).

A situação do Pro Wrestling no Brasil nos dias de hoje não é nada boa. A  empresa que está “melhor das pernas” atualmente é a BWF-Brazilian Wrestling Federation, mas mesmo trazendo estrelas internacionais para o nosso país, a companhia ainda está longe de propiciar ao profissional da área a condição de viver do Telecatch, ao contrário das empresas estrangeiras como  a WWE ou a AAA mexicana.

Por isso, muitos dos lutadores brasileiros da modalidade precisam manter um segundo emprego enquanto sonham com a possibilidade de tentar a carreira lá fora.

Um destes é  Maycon Satoshi, cujo nome de ringue é Satoshi Senshi. Nascido no Rio Grande do Sul, ele vive atualmente no estado de São Paulo, onde se firmou no Pro Wrestling.

Satoshi iniciou a sua carreira em 2011 no programa GDR-Gigantes do Ringue, comandado por Michel Serdan  ( um dos maiores ícones do Pro Wrestling no Brasil ), onde permaneceu até meados de 2015.

Na época, eles realizaram muitos shows em shoppings;  Deu  certo por um tempo, mas depois os shows pararam. Contudo, Satoshi já havia acumulado experiência de ringue por ter lutado com nomes como o Marinheiro Júnior, que é de uma geração mais antiga e também trabalhou com ídolos da nova geração como o Erivan Paulino, ´Black Star´, ´Pit Bull´,´Rony Kidd´ e ´Tony Angel´ , esses dois últimos já faziam parte dos novos talentos da época.

A maioria desses shows foram televisionados em emissoras de menor porte no estado de São Paulo.

Após esse período ele passou à estudar durante a semana e acabou sendo menos escalado para as lutas, fato que o motivou a deixar a companhia GDR e migrar para o Astros do Ringue Falcão Azul, onde fez a sua estreia na segunda metade de 2015 e permanecendo até o final daquele ano.

No Astros do Ringue Falcão Azul, Satoshi lutou com um dos astros das antigas, o Roni Murano e com um jovem que havia treinado com ele próprio, chamado ´Rockstar Robert Page´.

A temporada que passou no Astros do Ringue Falcão Azul  permitiu uma boa evolução ao jovem pro wrestler, uma vez que Mario ´Boy´ -dono da companhia- tinha um dos melhores ringues.

Foi então que Satoshi conheceu Bob Júnior, o maior nome do Pro Wrestling do Brasil na atualidade.

Além de ajudar muito em sua  vida pessoal, Bob Júnior ainda convidou Satoshi para participar do BWF-Brazilian Wrestling Federation, onde o jovem permaneceu até Maio de 2017.

No BWF Satoshi teve a oportunidade de enfrentar pro wrestlers dessa geração, entre estes estavam nomes  como Freddy Turbo, Tubarão Negro, Albert e Rockstar Blackout, entre outros.

O BWF estava focando mais em eventos de  “animes”, devido à uma  parceria com a Yamato. Aquela foi uma época marcada por muitos treinos, mas Satoshi percebeu que não chegaria onde queria no BWF e resolveu sair para se arriscar em outras companhias.

Já de Maio de 2017 até o final do ano, atuou pela Alpha Wrestling e gravou um piloto com eles ,porém os dirigentes da companhia ainda estão aguardando patrocínios para o programa ir ao ar.

O principal objetivo da equipe Alpha Wrestling é profissionalizar os shows, de forma que o Pro Wrestling passe a movimentar bastante dinheiro e o lutador possa viver de sua profissão.

Atualmente, além de trabalhar como um lutador  “free lancer”, Satoshi também está junto com a companhia “Telecatch, A Ressureição”.  O foco desta equipe é ensinar a garotada das comunidades carentes  a cultura do Pro Wrestling, e Satoshi também faz parte dos shows de luta.

O  “Telecatch, A Ressureição”  ainda ajuda Satoshi à  fechar lutas em outros circuitos independentes  ou promoções independentes  ( também chamados de indies).

Ele também aparece, esporadicamente, na Alpha Wrestling.

*Fonte /Créditos : Colaborador Oriosvaldo Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.