O “banner” ou ' flyer ' das quartas-de-final que destaca o lutador brasileiro Marcos Alves, representante da equipe Brazilianthai.

K-1 desembarca novamente na Coréia do Sul em noite de grandes lutas

O pôster de divulgação do K-1 ULTMATEVICTOR REVOLUTION FINAL 4 que foi realizado no dia 23 de setembro de 2017

Após o seu inicio no dia 30 de Abril de1993 o K-1 foi por quase 20 anos o maior evento de Kickboxing do planeta. Criado por Kazuyoshi Ishii, o K-1 muitas vezes é confundido com uma arte marcial ou desporto de combate.

Em seu auge, o show tinha como marca registrada os seus GP’S de Kickboxing composto por atletas originários de diferentes estilos de trocação ( luta em pé ) e vindos de todo o mundo.

O K-1, a partir de 2003, passou a pertencer à promotora Fighting and Entertainment Group ( FEG ). Em 2010 começaram a surgir problemas financeiros responsáveis pela não realização do K-1 World Grand Prix em 2011, sendo que após várias transações, a organização do K-1 passou para a Showtime ( uma rede de canais de televisão por assinatura e outras plataformas em todo o mundo ) apenas para amargar um novo fracasso comercial.

Toda a marca K-1, juntamente com a maioria das suas marcas comerciais, com a exceção do ‘K-1 Koshien’, ‘K-1 MAX’ e ‘ Dream ‘ ( braço de MMA da marca que substituiu o K-1 Hero’s ), foram vendidas à empresa japonesa de imóveis, Barbizon Corporation Limited, também em 2011.

Contudo, em 2012 a EMCOM Entertainment Inc. comprou o K-1 da Barbizon.

Foi então que a Showtime anunciou que a EMCOM Entertainment havia estabelecido uma nova empresa, a K-1 Global Holdings Limited, com sede em Hong Kong, e que esta teria adquirido os direitos do K-1 tornando-se assim o atual organizador de eventos da franquia em todo o mundo.
O acordo da K-1 Global Holdings Limited com a promoção exigiu que certos lutadores contratados anteriormente pela Showtime aparecessem nos próximos eventos do K-1.

Posteriormente, a parte do K-1 que ainda pertencia à Showtime foi comprada pela Glory Sports International, responsável pela nova promoção GLORY, hoje classificada como a maior franquia de Kickboxing do mundo.

Quanto ao K-1, este continuou à ser promovido no Japão, Hong Kong e Europa, ainda em 2013, além ter feito o seu retorno a Coréia do Sul, país onde era muito popular, graças à visão do seu novo presidente, o sul-coreano Gunil Kim.
Seu sócio é Mike Kim, um magnata do mercado imobiliário e empreendedor com experiência em revitalizar empresas quase falidas.

Nesse reinício, o K-1 começou à realizar try-outs em vários países pelo mundo, tais como Croácia, Lituânia, EUA, Portugal e até mesmo Brasil, para ranquear lutadores.

Para se ter uma ideia da popularidade do show, os try-outs que foram realizadas em Venice Beach, Califórnia, EUA, proporcionaram mais de 768.300 mil milhões de buscas on-line para conteúdos relacionado ao K-1, gerando um enorme aumento no tráfego do site da empresa dentro de um período de três meses.

De lá para cá, a marca sedimentou-se com a promoção de várias etapas em lugares tais como Coréia do Sul, Croácia, Moldova, Portugal, Lituânia, Canadá, Irlanda, Inglaterra, Espanha, Azerbaijão, Tailândia e Foshan, na China.

A mais recente edição do evento foi realizada no sábado passado, dia 23 de setembro, e teve lugar em Incheon, na Coréia do Sul.
Incheon, Inchon ou Inch’on é uma importante cidade portuária situada na costa ocidental do país, a oeste da capital Seul.

Uma vez que o MKF ( Moovi Kyeoktooki Fight ) assinou um contrato em julho para ter o direito de fazer uso da marca K-1, essa etapa foi então batizada de K-1 ULTMATE VICTOR e consistia de um torneio eliminatório ( composto de quartas-de-final e final ) e algumas lutas casadas.

A MKF Promotions é a mais antiga das organizações de combate profissional da Coréia do Sul.

Para nós brasileiros, o momento mais aguardado desse K-1 ULTMATEVICTOR REVOLUTION FINAL 4 foi a luta do paulista Marcos Alves, representante da equipe Brazilianthai e que contava com o famoso campeão de Kickboxing Danilo Zanolini em seu corner.

Marco Alves lutou nas quartas de final com o chinês Sunji Xiang e vinha fazendo uma boa luta, mas infelizmente acabou tomando um golpe de encontro ainda no primeiro round.
O atleta de Piracicaba ganhou muita esperança por participar de um evento desse porte e já se prepara para próximas lutas.

Na final do torneio, o japonês Hideki que venceu as suas duas lutas por Nocaute, acabou ficando com o cinturão do K-1 na Coreia do Sul.

O “banner” ou ‘ flyer ‘ das quartas-de-final que destaca o lutador brasileiro Marcos Alves, representante da equipe Brazilianthai.

Esse show do dia 23 de setembro teve ampla divulgação pela KBS N SPORTS, uma das principais empresas de radiodifusão naquele país.

A MKF Promotions informou que após concluir o procedimento administrativo para estabelecer uma aliança de combate com a K-1 Global Holdings Limited , seria a vez das pequenas empresas de gerenciamento de lutadores se desenvolverem de forma mais orgânica.

Para maiores informações, favor consultar :
Site oficial da empresa K-1 Global Holdings Limited : https://k-1world.com/
Site oficial do K-1: https://www.k-1.co.jp/

*Texto do colaborador: Oriosvaldo Costa

Anúncios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 10 =

Anúncios
Anúncios
Anúncios
Anúncios