Psiquiatra comenta resultados de teste experimental contra Alzheimer

Nova droga reduz formação de placas nocivas no cérebro com Alzheimer.

Nesta semana, cientistas revelaram resultados promissores de um estudo com uma droga experimental contra Alzheimer. Testes em pacientes apontaram que o verubecestat é capaz de reduzir a formação de placas senis no cérebro de pacientes, tornando-se uma opção promissora para o tratamento da doença.

Caracterizado pela perda de memória, da capacidade de realizar tarefas cotidianas e pela piora das funções motoras, o Alzheimer se manifesta no cérebro pela presença de placas senis entre os neurônios e pela formação de emaranhados da proteína tau no interior da célula nervosa.
As placas senis são compostas pela proteína beta-amiloide. O alvo da nova droga verubecestat é justamente a enzima BACE1, que tem um papel importante na produção da proteína beta-amiloide.
Outras iniciativas de pesquisa já tinham tentado desenvolver componentes capazes de bloquear a enzima BACE1, mas, até o momento, todos provocavam efeitos adversos muito graves. Esta foi a primeira vez que uma droga oral inibidora de BACE1 foi aprovada para testes clínicos de fase 3, que envolvem um grande número de pacientes.
Uma única dose da droga foi capaz de reduzir consideravelmente o nível da proteína beta-amiloide no sangue e no fluido cérebro-espinhal de ratos e macacos. Os animais não manifestaram sinais de toxicidade.
A pesquisa, cujos resultados foram publicados nesta quarta-feira (2) na revista “Science Translational Medicine”, foi feita nos laboratórios de pesquisa da famarcêutica Merck.

Veja o vídeo com o Psiquiatra Daniel Barros : Clique Aqui

Fonte e créditos da foto: g1.globo.com

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments